19 de nov de 2007

...Outra vez te revejo,
Com o coração mais longinquo, a alma menos minha...
Outra vez te revejo,
Mas, ai, a mim não me revejo!
Partiu-se o espelho mágico em que me revia identico,
E em cada fragmento fatídico vejo só um bocado de mim -
Um bocado de ti e de mim!...

Fernando Pessoa

Um comentário:

Leandro Borges disse...

Prefiro o Neruda!

Besos