29 de dez de 2008

O rio de janeiro continua lindo.

21 de dez de 2008

A última de amor era inevitavel.

Eu comecei a beber por tua causa, sabia?
Achava que bebendo eu iria te encontrar pelos butecos da cidade.

Desde que te conheci tu bebia e bebia e depois ficava com aquele cheiro impregnado na roupa, no beijo, no sexo. Minha vontade era que tu ficasse assim sempre.

Bêbado, incosciente, amavel e com aquele cheiro.

És o meu ausente presente.
És minha certeza e incerteza.
És minha volta e minha partida.

Será assim sempre.

Somos dois seres feitos de antíteses.
Colecionamos aventuras, loucuras e boas lembrancas.

Nossas boas lembrancas.

Eu e tu em uma roda gigante.

Roda viva.






É.
A nossa última de amor é inveitavel.

12 de dez de 2008

DO OUTRO LADO

A sensação de ficar dentro daquele apartamento era de sufoco. Eu já havia vomitado toda a cerveja que ficara da última festa e a única coisa que eu conseguia ouvir era Janis pedindo pra eu pegar um pedaco de seu coracão.
A noite quente me deixava com vontade de ir pra rua. Os poucos amigos que tenho estavam trabalhando ou cansados demais pra mais uma bebedeira sem sentido.
Sai sozinho.
A multidao que ocupava a faxada do bar me condenava por estar só. Entrei e encontrei uma mesa ao fundo.

Pedi uma cerveja.
No meio do segundo copo eu a vi.

Ela tava ali. Radiante como sempre. Sorridente como sempre.
Eu não sei bem como mas ela tem um poder de parecer sempre bem, mesmo quando reclamava de uma nota ruim ou de uma briga boba com os pais, o sorriso acabava sempre estampado no seu rosto.
E sabe, ela não era bonita, mas tinha um charme incondicional. A forma com que ela arrumava o cabelo fazia com que chamasse atencão de todos no lugar. Homens e mulheres a olhavam de canto querendo decifrar de onde vinha tanta energia.

Ela me viu. Seu sorriso fechou.
Eu a odiava ainda mais por saber que ela não viraria a cara e ignoraria minha presenca. Mesmo depois de tudo.

Ela parou a conversa que estava tendo com um rapazote metido a cover de alguma banda inglesa, lhe lançou um sorriso e uma piscada e se dirigiu a minha mesa.
Séria.
Ela ficava mais charmosa séria. Parou na minha frente e disparou ironicamente.
“Sozinho aqui?”.
Ela só queria me mostrar a capacidade que tinha de fazer amigos e de não ficar sozinha.
No fundo ela me odiava por eu conseguir. Ela me odiava por eu não precisar dela.
Eu ofereci um copo e um lugar na mesa. Ela me encarou, foi até o balcão e pegou mais uma cerveja. Depois dessa, veio a quarta, a quinta, a sexta.

Terminamos a noite como sempre.
Nus.
Transformados em um único corpo.

Naquela noite não trocamos mais que meia duzia de palavras.
Não nos aguentavamos mais.
Ao mesmo tempo queriamos aquela noite pra sempre.
Eu queria aquela noite pra sempre.

Eu sabia que quando ela saisse de dentro das minhas cobertas eu a odiaria como de costume. Eu fugiria dela e de qualquer coisa que lembrasse ela.
Eu era um fraco.

Quando estava com ela.

7 de dez de 2008

Na sua companhia quero estar.

Escrevi, postei e apaguei.

Nao quero compartilhar minhas fraquezas com vocês.

Guardarei minha carencia, esse cheiro de cloro do meu corpo e essa falta de acentos, só pra mim.




Tá! Vem me buscar agora, vem.


Cansei de brincar de esconde-esconde.

1 de dez de 2008

Matou a famiília e foi ao cinema.


Tentei, em vão, descrever o que senti ao ver este filme. Foi um misto de desconforto e extase. Palavras não são o bastante.
Conta a Parede do diretor Turco-Alemão Fatih Akin é incrivel. Te coloca em meio a personagens humanos, com fraquezas, dificuldades e loucuras.

Ele se passa na ponte entre Alemanha e Turquia, e mostra a vida de um casal, tragicomico, que se casa para que a menina fuja das regras rigidas da familia Turca. No inicio é tudo muito facil. Eles se limitam a imagem de casados e vivem apenas como colegas de quarto. No entato a convivencia faz com que comecem a se gostar. Quando isso acontece, já é tarde demais.

Sem nenhuma pretensão de ter que se enquadrar em estilos, linguagens ou finais felizes, o filme vive e respira por si só. A cada minuto que passa é um minuto a mais que tu quer ver.

Contra a Parede muda a forma de ver cinema e de ver a vida.

Não Percam!




29 de nov de 2008

saída de emergência.

Se me pergunta onde anda o meu olhar

eu responderia que

Meus olhos andam constantemente se perdendo nas tuas calçadas.

A chance, mesmo que mínima, de te encontrar pelas ruas do bairro,
faz com que seja minima a minha permanencia em casa.

Como se a cada minuto tu fosse cruzar a praça e sumir naquelas grades.

Acho que te quero exatamente por não te conhecer direito. por não saber do teus defeitos e achar tão sexy tua voz acompanhada de um violão.

Agora, te peço uma última coisa. Por favor: NÃO SENTE EM FRENTE A SAÍDA DE EMERGÊNCIAS...


...você pode acabar sendo atropelado por um sentimento inflamado de quereres.

24 de nov de 2008

Monólogo de uma morte anunciada

Um quarto. Um colchão no chão. Um computador em cima da cama. Um armário. Um cinzeiro com uma ponta. Um incenso.
Bibiana, 22 anos, pele branca e cabelos vermelhos. Pintados. Sentada na cama.
Há uma cadeira. Nela. João.

Tu me diverte.
Acho que é isso.
(pausa)
Tu me faz rir.
(risadas)
Não que isso seja muito dificil.(Risada ironica) Mas já é um começo.
(pausa pensativa)
Eu acho que eu simplismente gosto de ter alguém que me divirta além de só tirar minha calcinha e me chamar de linda com um voz águada de quem acabou de asfixiar milhões de vidas.
(Ela levanta)
E também, o que mais poderiamos fazer juntos a não ser fumar e terepar? (Pausa)
E rir, claro. Acabei de dizer isso. Tu me faz rir.
(Ela caminha e se ajoelha em frente a cadeira de João com as mãos em cima das pernas dele)
Mas me diz João? Eu te divirto? Tu me acha engraçada? Tu acha que eu sou boa em alguma coisa que não a de te fazer gozar que nem um macaco?(Aumenta o volume da voz gradativamente)
(João empurra Bibiana e se levanta. Ela levanta atrás. João está de costas para Bibiana )
Tu ainda não consegue falar né? Tu nunca conseguiu. (Bibiana chora)
(Bibiana caminha para mais perto das costas de João)
E sabe o que é pior?(pausa)(gritando) Eu vou sair pela porta e vou te esquecer.(pausa) Vou beijar outros corpos, vou ser descuberta por outras linguas.
E tu? (risadas)Tu também vai amar outras, querer outras. Mas de mim.(pausa) De mim tu vai ficar apenas com a lembrança do que poderia ter sido.
(silêncio)
João se vira e da um tapa na cara de Bibiana

Corta.

23 de nov de 2008

Preencha os espaços em branco.

a) Nosso amor
b) Nossa amizade
c) Teu trabalho
d) Nossas incertezas
e) Minha demonstração explicita de afeição

21 de nov de 2008

VerdadeMentiraVerdadeMentira

Ela saiu de casa.
A noite estava fria.

Desde que o conhecera,
constantemente se perdia com pensamentos curtos.
Era ele que aparecia no lugar.

Aquela era a terceira ou quarta noite que se encontravam.
Os assuntos em comum dificultavam a possibilidade de fazer alguma outra coisa
que não conversar, beber e fumar.
Ele parecia saber que ela se derretia ao ouvir alguns acordes de violão.
Ele parecia saber que ela se derretia ainda mais quando eram as palavras de chico buarque que saiam de sua boca.

Os devaneios cinematograficos foram silenciados por insanos 90 min.
Se olharam, caminharam, riram, cantaram.



E aquelas malditas duas escovas de dente continuam lá.

19 de nov de 2008

Chuva

Hoje eu queria:

Um bom vinho.
Um bom papo.
Uma boa pornografia.
E um bom baseado.

É pedir muito?

16 de nov de 2008

E SE POR ENQUANTO A MÚSICA NÃO TERMINAR?

Talvez poucos entendam. mas.
(Baseada em baseado de fatos reais. A falta de memória prejudica.)

Cor.Luz.Som.Som.Som.Música.Homem.Homens.Música.Música.Tu.Malu.Ei moço, tem o cd da malu magalhães?.Luz.Luz.Baseado.Espasmos de memória .Chuva.Música.Música.Chuva.Luz.Tu.Ele.Chuva.Eu vou pra minha casa, tu tem duas oções vai comigo ou não. Taxi. Beijo. Luz.Luz.Luz.Luz.Sinal vermelho.Luz.Luz. Casa.Cama.Verde.Bzzzzzzzzzzzzzz. Alarme.Alarme.Alarme.Verde.Pessoa verde. óculos. Bzzzzzz.Teus olhos.Água.Água.Bzzzzzz.Beijo. Corpo. Roupa.Corpo.Roupa.Beijo XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX. Dia.Não podia estar melhor.Chuva. Cobertor verde. Verde.Janis. Roxanne You don't have to put on the red light. Verde. Água.Corpo.Pele.Corpo.Só tu pra cantar roxanne as 8 da manha. Cama. Calor. Verde. Sono. Cérebro. Sono. Dorme. Tu. Verde.Parede.Verde.Parede.Verde.Parede.Beijo. Dorme.Tu. Quero ficar assim sempre. Enjoo.Enjoo.Água.Xixi.If you don't know who you are
You can tchubada, you can tchubaduba. Acho que eu quero dar uma banda. Roupas. Janis.Eai Marcelo. Porta.chave.sequela.tchubaduba.óculos.RUA.Vento. Ónibus.tchubaduba.Tu pelos últimos segundo.Beijo.

Quem precisa de certezas?

13 de nov de 2008

8 de nov de 2008

Conversas de butequim

Bom dia, será que tu pode me dizer o que eu faço aqui na tua cama, com a minha perna enrroscada na tua e a tua respiração nas minhas costas?

Olha. Eu não sei bem. O que eu lembro é que agente tava lá. Ai nossos olhares se encontraram. Tu sorriu, eu continuei sério. Tu pediu uma seda, eu fumei do teu baseado. Agente converso por horas.

E depois?


Depois eu não lembro mais.

Deve ter sido a tequila.

Ou a cerveja em excesso.

Tá. Mas e agora? o que eu faço?

Sei lá. agora tu foge.

Entao ela se levantou, se vestiu e sumiu.

4 de nov de 2008

Insônia número 235.

E eu não durmo pra saber quem será o presidente da crise mundial.

Acho que em 2035 eu estarei acompanhando as eleiçoes na China.

Choong Ling Obama X Achanpung Mccain.

As consequencias do mundo globalizado.

C'La vie!

baita orkut!

A verdade é que todo mundo vai te machucar, você só tem que decidir por quem vale a pena sofrer.

2 de nov de 2008

Não era 69, janis joplin não estava no palco e o clima não era bem o de “paz, amor e rock`n roll”. mas alguma coisa me incendiava. era uma energia escondida dentro dos porões mais profundos do meu corpo. A combustão maconha e caiprinha, que eu tomava desde as duas da tarde tinha feito com que meu senso de humor triplicasse. A música se transformou na trilha sonora de um filme que se passava na minha cabeça. Eu estava feliz. Feliz comigo. Não me preocupava se alguém ligaria . Se alguém pensaria em mim. Eu tava ali. Louca. Suja. Patriota. Drogada. Sozinha. Mas extremamente feliz.
No fim das contas vi que o bem estar vem de dentro pra fora. As coisas parecem ter muito mais cor quando agente aceita que tudo acontece no seu devido tempo.

Um lugar onde as pessoas sejam loucas e super chapadas. Um lugar do caralho.

1 de nov de 2008

30 de out de 2008

Sobre o dia que me vesti de ti-nta.

Foi rápido e indolor.
Do momento de tirar a roupa até ver mãos cheias de tinta deslizando sobre o meu corpo passou poucos segundos.
Naquele momento não tinha mais volta.
Eu iria sim, passar o resto da minha quarta feira nua.
Nua não.
Pintada.
E em frente as câmeras.


Nudez nenhuma me assustava tanto quanto estar perto dele.
Grudada nele.
Pensar que eu sentiria tudo de novo.
Sentiria o gosto do teu pescoço na minha língua.
Sentiria meu seio encostado em tuas costas.

Azar.
Profissionalismo era profissionalismo.




Acabou.
Esfreguei.
Lambi.
Gritei.
Comi corações.
Nada voltou.
6 meses virados em lembranças.


Nua, exposta a todos foi quando me senti mais protegida.
Mais livre.
De ti.

28 de out de 2008

26 de out de 2008

Falta alguns acentos entre ela e eu.

Eu era sempre a malvada.
Ela era egoista. Traia o namorado que morava longe com o colega de cursinho que acabara de conhecer.
Eu era impulsiva e maluca.
Ela não sabia lidar com os sentimentos alheios.
Eu não sabia lidar com os sentimentos masculinos. O amor em excesso.
Ela trocou de namorado como quem troca de música.
Eu me sentia frustrada por não conseguir falar a verdade.
Eu queria dizer a verdade.
Ela não deixava.
Eu disse verdades pro outro namorado. Ele se tornou ex.
Ela prometou mudar.
Eu tentei mudar.
Ela continuou solteira.
Eu estive sempre com alguém.
Ao mesmo tempo sem ninguém.
Ela tentou a imagem de solitária abandonada.
Eu sabia que a imagem não colava
Eu ainda tento passar essa imagem.
Não sei quem ela tenta enganar.
Ela continua a mesma.
Eu continuo a mesma.
Impulsiva e maulca.
Talvez um pouco mais correta, mais madura.
Eu me misturo nela.
Ela se mistura em mim.
EuNela.
ElaEmMim.
Fim.

Sheila

tu fica fantasiando.

cara, não existem monstros no armário.

apaga a luz, abre o armário,e tu vai ver que tá tudo do mesmo jeito que tu deixou.



será que n tem mesmo?

claro que não

bom vou confiar em ti

é só confiar EM TI

tu sabe quem tu é alice

I've got to admit it's getting better

Aprendi a lutar contra meus próprios monstros.

Isso explica muito.

22 de out de 2008

Apanhador só

Músicas falam por mim.
A grande parte das vezes.

eu pensava ter uma bicicleta
e pedalar até a tua rua
dizer que ainda sou tua

eu queria ser um avião bem leve
pra sobrevoar o teu terraço e tapar teu sol
fazer tu perceber
que sem eu aí não tem ninguém pra te aquecer

perfume atrás da orelha
vestido bem vestido
um sorriso no rosto
um punhado de amigos
que é pra,
se acaso eu te encontrar um dia,
tu ver como eu ainda tô bonita

ou mais
ainda mais ainda
ou mais
ainda mais bonita

20 de out de 2008

Minha vó já dizia

A males que sempre vem pro bem.

É sempre assim.

Novos males, novos mares, novos amares.

18 de out de 2008

eu juro que levo teus olhos castanhos comigo

Meu amor
eu te odeio
você me perturba
e um dia
eu ainda vou conseguir
te matar

Fim de semana começando bem.
Meio roteiro escrito.
Uma ausência de encomodos na regiao esquerda do peito.

É uma alegria sem motivo, que sobe pelos meus pés, pernas, barriga e cabeça.
Nehuma droga. Nem maconha, nem ácido, nem alcool.
Apenas eu e meu corpo. E meus sonhos baratos de como me tornarei uma baita cineasta.
Creio que eu esteja me descobrindo só agora.
Agradeço mais uma vez a vocês:
Homens que insistem em me deixar sozinha.
Só.
Zinha.

16 de out de 2008

Devaneios de quinta

Eu quero me apaixonar enlouquecidamente.
Quero alguém tão enlouquecidamente apaixonado.
Cansei.

Já Élvis, merrmãaoo!

14 de out de 2008

Entre cigarros e sonhos

" there's no such thing as love: there are only proofs of love" Isabelle(The Dreamers)
Será mesmo que as coisas são tão dificeis ou é tudo obra das nossas imaginações?

13 de out de 2008

Morte as comédias românticas

Hoje resolvi assistir sessão da tarde. Dez coisas que eu odeio em você. Um dos meus filmes prediletos da adolescência.

Terminou. Fiquei com raiva. Porque esses roteiristas infelizes não fazem um filme adolescente realista. Qual o motivo de deixar milhares de meninas achando que um cara LINDO vai cantar “I love you baby” nas arquibancadas da escola?

Porra! Até eu, com 19 anos, pés no chão e nenhum pingo de fé nos homens me iludo e por segundos penso que aquilo realmente vai acontecer.

Cara, não vai.

Então, não é muito mais fácil dar a real? “Hó meninas, a vida é assim, os homens são assado e o final raramente é feliz”.

Suponho que não seja mais fácil, então.

Pensar é sempre mais difícil.

Tudo bem.

Se um dia alguém cantar seu amor por mim dessa forma, prometo fazer comédias românticas pro resto da minha vida.

Putz isso pode afastar futuros pretendentes. Prometo fazer filmes legais e comédias românticas!

“...Odeio quando me faz rir muito
Mais quando me faz chorar...
Odeio quando não está por perto
E o fato de não me ligar
Mas eu odeio principalmente
Não conseguir te odiar Nem um pouco
Nem mesmo por um segundo
Nem mesmo só por te odiar"
Se o teto abrisse e as estrelas caissem sobre as nossas cabeças eu te abraçaria e ficaria ali pro resto dos dias.






Onde eu coloco todo esse sentimentalismo?
Caralho.

6 de out de 2008

Não falo de amor quase nada

Buu.
Ele aparece mais uma vez como uma assombração que não me deixa dormir.
As dúvidas seguem na minha cabeça como um despertador que insiste em tocar.

Abro e fecho os olhos rapidamente. Dessa vez eu prometi não aceitar tão facilmente. Ando descobrindo que as pessoas preferem se submeter aos seus próprios medos. Ou será que a nossa sociedade tem desensinado as pessoas a amar, a querer ser feliz. A lutar por isso.

Ter certeza do que se sente, nos dias de hoje, é pecado. Querer babar, amar, trepar, viajar , sonhar com alguém. Com um único alguém. Tem sido o problema da grande parte dos jovens. É verdade. Olhe na sua volta. É assim. E ponto.

Eu, sinceramente, não quero ser assim. Eu quero fazer o movimento inverso. O movimento dos que amam enlouquecidamente. Dos que choram, berram e se escabelam por amor. Eu quero. Fazer o que.

Não quer. Putz. Enquanto estiveres vivendo sua vida mediana,com seu amor mediano, eu estarei explodindo e transbordando de amor por ai. Até morrer. De tanto amor.

Aquela coisa de fim de ano.

Acho que ando com preguiça de organizar meus pensamentos para que eles sejam lidos.

É um turbilhão de momentos por minuto.


Vou trancar-me para nunca mais abrir
Pro sabor dos nossos sonhos nao fugir.

5 de out de 2008

Quando fazemos tudo para que nos amem e não conseguimos, resta-nos um último recurso: não fazer mais nada. Por isso, digo, quando não obtivermos o amor, o afeto ou a ternura que havíamos solicitado, melhor será desistirmos e procurar mais adiante os sentimentos que nos negaram. Não fazer esforços inúteis, pois o amor nasce, ou não, espontaneamente, mas nunca por força de imposição. Às vezes, é inútil esforçar-se demais, nada se consegue;outras vezes, nada damos e o amor se rende aos nossos pés. Os sentimentos são sempre uma surpresa. Nunca foram uma caridade mendigada, uma compaixão ou um favor concedido. Quase sempre amamos a quem nos ama mal, e desprezamos quem melhor nos quer. Assim, repito, quando tivermos feito tudo para conseguir um amor, e falhado, resta-nos um só... caminho...o de mais nada fazer. (Clarice Lispector)

3 de out de 2008

Cansei de amores pela metade.

1 de out de 2008

30 de set de 2008

você pode estar aqui.

Se eu fosse escrever um livro hoje, a dedicatória seria assim.



A minha mãe e meu pai. É por eles que sou quem sou.
Ao meu irmão, pequeno gênio. Quem me fez aprender que o chocolate tem de ser dividido em dois.
As minhas avós lindas. E as melhores histórias.
A Ana. A irmã que eu não tive. Por todos os momentos e todos os baseados.
Ao Chico Buarque. O homem da minha vida.
Ao Guigo. Foi por ele que conheci o Chico. Toráx de Superman e coração de poeta.
Ao Tomer, ao André, ao Lelê, ao Lucas, ao Fábio, ao Francisco, ao Felipe .... por terem me ensinado a amar e a odiar.
Ao Ricardo. E seu jeito inexplicável de ser. Ele sendo já me faz feliz.
A Elisa, a Bê, a Bruna, a Sheila e a Mari. Minhas meninas. Qualquer momento fica melhor com elas.
Ao Rafa, o melhor amigo distante!
Ao teatro. O rei sol.
Ao cienema. Meu vício atual.
Ao zinho. Por ele nunca me deixar na mão.
A Ana.C. Seus ouvidos de ouro. Ninguém me escuta como ela.
A Jô, a Carol(volta logo), a Nicole, a Nessa. AMIGAS
A Tuti. Devo minha faculdade a ela.
Ao Bertolucci. E seus sonhadores.
Ao Che. Hasta la vitória Siempre.
Aos Beatles. Por eles serem a melhor banda de todas.
Ao Bob Dylan. E ao Caetano veloso.
Ao Habonim Dror.
A redenção e seus dias de sol.
Aos ausentes e aos presente. Aos esquecidos e aos lembrados.
VOCÊS SÃO FODA!

28 de set de 2008

Eu e Ele

O cheiro dele ainda estava em minhas costas, a lembrança recente de cada momento fazia com que minha pele arrepiase, suas poucas palavras continuavam a ressoar na minha cabeça.
Queria que fosse interminável.
No fundo eu sabia que o dia seguinte chegaria, que teria que sair de lá, atrasada com o mundo que passava correndo do lado de fora.
Por mim, me esquecia e me perdia dentro do caos de suas paredes.

Agora por ele...

26 de set de 2008

"Let's spend the night together

Now I need you more than ever"


Sem mais.

21 de set de 2008

DOMINGO

Uma taça de vinho, um baseado e mais um fim de noite solitário.

20 de set de 2008

SÁBADO

2:40 da manhã.
A festa estava cheia.
Muito cheia.
Seu celular não pegava.
A angustia de saber se ele ligaria não a deixava aproveitar a festa.
Seus pés já encomodavam.
A falta de grana não lhe dava nem o direito de beber até esquecer que ele existia.
Nem mensagem.
Nem ligação perdida.
NADA.
Ou ele ainda estava na rua ou a vontade dele era dormir sozinho.
Ou com outra.
Ou com outras.
Ela nunca saberia.
E ele provavelmente nunca falaria.
Ele não falaria nada.

O que lhe restava era um fim de noite sem poesia.
Sem prosa e sem poesia.

19 de set de 2008

SEXTA-FEIRA

Quano que tu iras descobrir que a melhor companhia é tu mesma?

Baita Zé Celso

E novamente a vontade de fazer teatro pulsa.

pulsa.

pulsa.

13 de set de 2008

Mais uma vez me sinto em tuas mãos.

E por ironia.

As mais belas mãos já vistas.




Lembrete: Semana nova, coração novo.

11 de set de 2008

LIKE A ROLLING STONE

























ELE É O CARA!!!

LEMINSKI DO DIA

Apagar-me
diluir-me
desmanchar-me
até que depois
de mim
de nós
de tudo
não reste mais
que o charme.

9 de set de 2008

Tua instabilidade me deixa louca.

Tu poderia, por obséquio, tornar as coisas um pouquinho mais fáceis?



Seria melhor.
Pra mim.
E pra ti.


E aquele papo de sermos felizes.
Juntos?



E em cada verbete
Um singelo lembrete:"Em sua companhia quero estar" *



*Móveis coloniais de Acaju

7 de set de 2008

SAMPA



Alguma coisa acontece no meu coração....

É estranho voltar depois de muito tempo.

Estranho, mas importante.

É bom ver as coisas com outros olhos. Olhos menos apaixonados.

Olhos mais sincero.

Foi a primeira vez que o corpo foi e a cabeça(coração) ficou.

Normalmente o corpo ficava e a cabeça tava lá.

Eu vi caos em forma de cidade.

4 de set de 2008

LONGE

Odeio estar aqui e me sentir indiferente a ti.



flat, ana, beisis, luzes, comidas boas....

3 de set de 2008

TRECHOS DE CLARAH AVERBUCK

Li no blog da sheiloca e achei que certos trechos da Clarah Averbuck definiam muito do que eu sinto! clarooo que não ao pé da letra. Tá, que seja!
Aí vai alguns deles!
Have fun!

"Quando digo que só faço merda quando me apaixono, realmente falo sério. E a merda é sempre proporcional ao tanto que gosto do sujeito. "

"Homens, eu os amo mas eles fodem com a minha cabeça. Não entendo. Entendo, claro. Mas não entendo."

" Precisava de um homem. Colo e sexo e risadas. Não sei viver sem isso.Socorro. Homem, preciso de homem. Carinho. Foder até pingar de suor. Carinho. Socorro."

"E mediano não me interessa. Extremos, quero extremos. Quero um louco me seguindo de carro nas ruas. Quero alguém tão apaixonado, doentio e obcecado quanto eu." Essa é ao pé da letra.

Fui pra São Paulo! Me espera!

1 de set de 2008

PQ EU SEI QUE TU GOSTA DESSA...

"E não posso entender
Tanta gente aceitando a mentira
De que os sonhos desfazem
Aquilo que o padre falou
Porque quando eu jurei
Meu amor eu traí a mim mesmo
Hoje eu sei que ninguém nesse mundo
É feliz tendo amado uma vez
Uma vez
Eu perdi o meu medo
Meu medo, meu medo da chuva
Pois a chuva voltando pra terra
Traz coisas do ar
Aprendi o segredo
O segredo, o segredo da vida
Vendo as pedras que choram
sozinhas no mesmo lugar"


A minha forma de dizer que foi demais!

27 de ago de 2008

ORKUT!

Sorte de hoje: É difícil resistir seu jeito cativante


Será?

25 de ago de 2008

Santo Antonio esq. Cristovão colombo

Ele me olhou como se entendesse tudo que passava na minha cabeça.
Ele entendia como eu queria comprar uma bergamota e como eu estava irritada pelo tio das bergamotas não estar na sua banquinha no momento que eu queria, ele sabia que eu não tava afim daquela aula e ele sacou também a minha chapadera.

Ele parou no orelhão tentou inutilmente uma ligação e meus olhos já não conseguiam mais sair dos dele.

O tio da bergamota chegou. Eu dei o dinheiro peguei as bergamotas e quando me dei conta ele tava me olhando pela última vez.

Depois disso ele seguiu seu rumo e eu o meu.

Cheguei a imaginar uma abordagem, um esbarrão, uma troca humilde de palavras.

Pura imaginação.

Acho que nunca mais o verei.

Foi bom. Por alguns segundos me senti a pessoa mais amada do mundo. Ninguém pode dizer que não.

Menino do orelhão, se um dia leres isso: Meu muito obrigada! Fizeste meu dia mais feliz.

Você não entende nada

A casa está em silêncio. Essa é uma das horas do dia que mais gosto. Todos dormem e eu fico acordada escutando os ruídos das portas batendo com o vento que entra pelas frestas da janela. De dentro do meu quarto eu fico imaginando o que as pessoas devem estar fazendo dentro de suas paredes.

Sinto meu corpo pesado, tomo um gole de chá e lembro do trabalho para a faculdade. Vejo alguns livros jogados ao lado da cama. Chega a ser engraçada a capacidade que eu tenho de me enganar. Todo mundo, que me conhece um pouquinho, sabe que eu nunca começaria um trabalho à uma da manhã de um domingo. Acho que só eu não sabia.

O barulho das portas é interrompido. Caetano Veloso. Ele sabe das coisas.

Sinto meu corpo mais quieto, mais calmo. À alguns 30 minutos átras minhas lágrimas se misturavam com a água que caia do chuveiro. Essas são as mesmas lágrimas que com frequência costumam aparecer no meio de madrugadas solitárias. Madrugadas como essa.

A única coisa que me da medo agora é se tu vai me deixar dormir. Se quando eu desligar o computador, abaixar a música e apagar a luz tu não invandirá meus pensamentos como fez com a minha vida.

Invadiu e bagunçou tudo.

Vou tentar começar o trabalho. Vou folhar umas cinco paginas de algum livro, piscar os olhos freneticamente até me dar conta que estou com sono. Desligarei a luz e ai...


Eu quero que você venha comigo.
Mas você não entende nada.

24 de ago de 2008

Fim de tarde.
Te quero mais perto.
Bem mais perto.
Noite.
Até que nossa distância seja zero.
E em um único abraço agente se torne uma única pessoa.
Manhã.

Prometi não falar mais de amor e de seus derivados?
Pois é, quem mandou você acreditar em mim?





brincaderinha....

20 de ago de 2008

Tá na hora de escutar mamãe e papai.
Essa vida não nos leva a lugar nenhum.
O problema está em nós mesmos.

POR FAVOR ALGUEM ARRANCA ESSA ANGUSTIA DE DENTRO DO MEU PEITO?

18 de ago de 2008

A cabeça giraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Parece que tomei outra daquelas porcarias




putttzzzzz...eu tomei...

17 de ago de 2008

IN SÓ NIA

É tarde.

Minha respiração está ofegante e meu coração disparado.
Minhas pernas tremem. é um nervosismo chato de quem tem algo a dizer.
Minhas pálpebras já não fecham mais.
O sono que antes amolecia meu corpo se transforma em uma inquietação de espírito.

É tarde.

A minha vontade era de virar pro lado e te ver dormindo, de ouvir tua respiração alta e sentir tua perna enrroscada na minha.
Eu queria acordar contigo, olhar pra tua cara amassada e ter a certeza que mesmo depois de tudo era desse jeito que as coisas deveriam terminar.

É tarde.

E o que eu mais queria era catar algumas roupas, subir em uma moto, buzinar na tua janela e falar: ei, vamos ser feliz?
mas como eu já te conheco, sei que tu não levaria a sério, e ai meio nervoso tu diria: para com isso, sobe ai e vamo fuma um!
Viu, eu já te conheço.
Eu já me conheço.
Eu subiria, te daria um beijo no rosto e desistiria dessa ideia idiota de ser feliz com alguém. De ser feliz contigo.

Já é tarde pra começar o processo inverso. Vou esperar até amanhã.

Prometo não falar mais de amor.

Boa noite.

O tricolor, O domingo, O roteiro e o Coração

A mais remota chance de te perder, de não te ter mais na minha vida, de um jeito ou de outro, já faz com que minhas pernas tremam, meu estômago encomode.

O que esta acontecendo?
O mundo está ao contrário e ninguém reparou.
O que está acontecendo?
Eu estava em paz quando você chegou.

O gremio ganhou. De novo.
Uma seqüencia de derrotas se torna chato.
Uma sequencia de vitórias se torna mais chato ainda.

Eu trocaria a eternidade por essa noite.

Foste o protagonista do meu roteiro. Do meu roteiro de domingo.
Protagonista do meu domingo.
E de muitos outros.
Espero.

O que você esta dizendo?
Milhões de frases sem nenhuma cor.

*trechos de relicário (nando reis e cassia eller)

16 de ago de 2008

Ansiedades

Hoje vou esperar
Hoje vou sentar na cama, ligar a tv, mudar inutilmente de canal procurando algo interessante para ver
esperando que ele ligue

Ele provavelmente não vai ligar
Eu provavelmente irei ligar

Oiii
Eai
Planos pra hoje?
Não sei
Bom, eu tava afim de algo! se ficar afim me liga!
Tá, se quiser chega ai mais tarde!
Tá!
Beijos
Beijos

Enquanto olho no relógio e vejo os minutos passarem cada vez mais rápido a ansiedade me come por dentro

4 de ago de 2008

PROJETOS

Um bolo de CHOCOLATE. Lembrar de comprar o Nescau. O último tava vencido.
Uma personagem. Que não fale PALAVRÕES ou de amores mal resolvidos.
Um documentário. Lembrar de escrever o ROTEIRO.
Um carro. Não PRECISA ser o carro. Aprender a dirigir já me basta.
Um AMOR. Desses que agente sente até nos ossos.
Um dentista. Ou alguém que cuide de bocas. Ando falando DEMAIS.
Uma casa. Em que eu fique SÓ. Até por alguns dias.
Um CAFUNÉ. Ando fazendo demais. E recebendo de menos.
Uma PLANTAÇÃO de mac_ _ _ _ . Na casa em que eu irei morar só. Ou com ele.
Uma dose extra de carinho. Meus PAIS merecem. Ando gélida.
Um CHEGA. pra parar de fazer tantos projetos.

Sossega, Leoa!

11 de jun de 2008

12 de Junho

Eu quero a sorte de um amor tranquilo
Com sabor de fruta mordida
(cazuza)


E quem não quer?

10 de jun de 2008

Pelo Universo

Procure a menina com o sol em seus olhos
Oito dias por semana
Sentada na terra de lugar nenhum.


Campos de morango pra sempre.

conclusões noturnas

E dessa vez, será que dará certo?
Dar certo é relativo.
Sim, é relativo a nós.
Dois.
Nós dois.
E só.

9 de jun de 2008

Talvez assim, você pudesse me deixar cuidar de você, te reablitar, te amar.

Talvez assim eu pudesse ouvir de você que eu sou a melhor coisa que apareceu na sua vida.

Continuo

Continuo no mesmo bairro, continuo não tomando café da manhã e continuo gostando de pão com nutella.
Continuo com frio nos pés e não aguentando calor demais. Continuo cínica. Continuo amando meus cabelos e odiando meu umbigo. Continuo não gostando de cerveja e fumando mais que eu deveria. Continuo acordando de bom humor e continuo dormindo com cobertor demais. Continuo falando alto. Continuo maníaca por carinhos nas costas e por massagem na nuca. Continuo falando rápido, continuo errando acentos e continuo falando mais eu te amos que eu realmente deveria. Continuo sempre com uma música na cabeça. continuo a rir como uma criança de seis anos. continuo louca por Chico buarque e Continuo a achar que as músicas dele foram escritas pra mim. continuo tomando banhos demorados. Continuo me arrepiando quando bebo tequila, continuo me arrpeiando por muitas coisas. Continuo rindo quando devo chorar e chorar quando devo rir. No mais, continuo igual pra você continuar me encontrando.

14 de mai de 2008

A- Meu isqueiro ficou contigo?
B- Não!
*Silêncio
B- E meu coração, ficou contigo?
*Silêncio
A- Ficou, ta ali, guardado na gaveta!