29 de nov de 2008

saída de emergência.

Se me pergunta onde anda o meu olhar

eu responderia que

Meus olhos andam constantemente se perdendo nas tuas calçadas.

A chance, mesmo que mínima, de te encontrar pelas ruas do bairro,
faz com que seja minima a minha permanencia em casa.

Como se a cada minuto tu fosse cruzar a praça e sumir naquelas grades.

Acho que te quero exatamente por não te conhecer direito. por não saber do teus defeitos e achar tão sexy tua voz acompanhada de um violão.

Agora, te peço uma última coisa. Por favor: NÃO SENTE EM FRENTE A SAÍDA DE EMERGÊNCIAS...


...você pode acabar sendo atropelado por um sentimento inflamado de quereres.

24 de nov de 2008

Monólogo de uma morte anunciada

Um quarto. Um colchão no chão. Um computador em cima da cama. Um armário. Um cinzeiro com uma ponta. Um incenso.
Bibiana, 22 anos, pele branca e cabelos vermelhos. Pintados. Sentada na cama.
Há uma cadeira. Nela. João.

Tu me diverte.
Acho que é isso.
(pausa)
Tu me faz rir.
(risadas)
Não que isso seja muito dificil.(Risada ironica) Mas já é um começo.
(pausa pensativa)
Eu acho que eu simplismente gosto de ter alguém que me divirta além de só tirar minha calcinha e me chamar de linda com um voz águada de quem acabou de asfixiar milhões de vidas.
(Ela levanta)
E também, o que mais poderiamos fazer juntos a não ser fumar e terepar? (Pausa)
E rir, claro. Acabei de dizer isso. Tu me faz rir.
(Ela caminha e se ajoelha em frente a cadeira de João com as mãos em cima das pernas dele)
Mas me diz João? Eu te divirto? Tu me acha engraçada? Tu acha que eu sou boa em alguma coisa que não a de te fazer gozar que nem um macaco?(Aumenta o volume da voz gradativamente)
(João empurra Bibiana e se levanta. Ela levanta atrás. João está de costas para Bibiana )
Tu ainda não consegue falar né? Tu nunca conseguiu. (Bibiana chora)
(Bibiana caminha para mais perto das costas de João)
E sabe o que é pior?(pausa)(gritando) Eu vou sair pela porta e vou te esquecer.(pausa) Vou beijar outros corpos, vou ser descuberta por outras linguas.
E tu? (risadas)Tu também vai amar outras, querer outras. Mas de mim.(pausa) De mim tu vai ficar apenas com a lembrança do que poderia ter sido.
(silêncio)
João se vira e da um tapa na cara de Bibiana

Corta.

23 de nov de 2008

Preencha os espaços em branco.

a) Nosso amor
b) Nossa amizade
c) Teu trabalho
d) Nossas incertezas
e) Minha demonstração explicita de afeição

21 de nov de 2008

VerdadeMentiraVerdadeMentira

Ela saiu de casa.
A noite estava fria.

Desde que o conhecera,
constantemente se perdia com pensamentos curtos.
Era ele que aparecia no lugar.

Aquela era a terceira ou quarta noite que se encontravam.
Os assuntos em comum dificultavam a possibilidade de fazer alguma outra coisa
que não conversar, beber e fumar.
Ele parecia saber que ela se derretia ao ouvir alguns acordes de violão.
Ele parecia saber que ela se derretia ainda mais quando eram as palavras de chico buarque que saiam de sua boca.

Os devaneios cinematograficos foram silenciados por insanos 90 min.
Se olharam, caminharam, riram, cantaram.



E aquelas malditas duas escovas de dente continuam lá.

19 de nov de 2008

Chuva

Hoje eu queria:

Um bom vinho.
Um bom papo.
Uma boa pornografia.
E um bom baseado.

É pedir muito?

16 de nov de 2008

E SE POR ENQUANTO A MÚSICA NÃO TERMINAR?

Talvez poucos entendam. mas.
(Baseada em baseado de fatos reais. A falta de memória prejudica.)

Cor.Luz.Som.Som.Som.Música.Homem.Homens.Música.Música.Tu.Malu.Ei moço, tem o cd da malu magalhães?.Luz.Luz.Baseado.Espasmos de memória .Chuva.Música.Música.Chuva.Luz.Tu.Ele.Chuva.Eu vou pra minha casa, tu tem duas oções vai comigo ou não. Taxi. Beijo. Luz.Luz.Luz.Luz.Sinal vermelho.Luz.Luz. Casa.Cama.Verde.Bzzzzzzzzzzzzzz. Alarme.Alarme.Alarme.Verde.Pessoa verde. óculos. Bzzzzzz.Teus olhos.Água.Água.Bzzzzzz.Beijo. Corpo. Roupa.Corpo.Roupa.Beijo XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX. Dia.Não podia estar melhor.Chuva. Cobertor verde. Verde.Janis. Roxanne You don't have to put on the red light. Verde. Água.Corpo.Pele.Corpo.Só tu pra cantar roxanne as 8 da manha. Cama. Calor. Verde. Sono. Cérebro. Sono. Dorme. Tu. Verde.Parede.Verde.Parede.Verde.Parede.Beijo. Dorme.Tu. Quero ficar assim sempre. Enjoo.Enjoo.Água.Xixi.If you don't know who you are
You can tchubada, you can tchubaduba. Acho que eu quero dar uma banda. Roupas. Janis.Eai Marcelo. Porta.chave.sequela.tchubaduba.óculos.RUA.Vento. Ónibus.tchubaduba.Tu pelos últimos segundo.Beijo.

Quem precisa de certezas?

13 de nov de 2008

8 de nov de 2008

Conversas de butequim

Bom dia, será que tu pode me dizer o que eu faço aqui na tua cama, com a minha perna enrroscada na tua e a tua respiração nas minhas costas?

Olha. Eu não sei bem. O que eu lembro é que agente tava lá. Ai nossos olhares se encontraram. Tu sorriu, eu continuei sério. Tu pediu uma seda, eu fumei do teu baseado. Agente converso por horas.

E depois?


Depois eu não lembro mais.

Deve ter sido a tequila.

Ou a cerveja em excesso.

Tá. Mas e agora? o que eu faço?

Sei lá. agora tu foge.

Entao ela se levantou, se vestiu e sumiu.

4 de nov de 2008

Insônia número 235.

E eu não durmo pra saber quem será o presidente da crise mundial.

Acho que em 2035 eu estarei acompanhando as eleiçoes na China.

Choong Ling Obama X Achanpung Mccain.

As consequencias do mundo globalizado.

C'La vie!

baita orkut!

A verdade é que todo mundo vai te machucar, você só tem que decidir por quem vale a pena sofrer.

2 de nov de 2008

Não era 69, janis joplin não estava no palco e o clima não era bem o de “paz, amor e rock`n roll”. mas alguma coisa me incendiava. era uma energia escondida dentro dos porões mais profundos do meu corpo. A combustão maconha e caiprinha, que eu tomava desde as duas da tarde tinha feito com que meu senso de humor triplicasse. A música se transformou na trilha sonora de um filme que se passava na minha cabeça. Eu estava feliz. Feliz comigo. Não me preocupava se alguém ligaria . Se alguém pensaria em mim. Eu tava ali. Louca. Suja. Patriota. Drogada. Sozinha. Mas extremamente feliz.
No fim das contas vi que o bem estar vem de dentro pra fora. As coisas parecem ter muito mais cor quando agente aceita que tudo acontece no seu devido tempo.

Um lugar onde as pessoas sejam loucas e super chapadas. Um lugar do caralho.

1 de nov de 2008