30 de out de 2008

Sobre o dia que me vesti de ti-nta.

Foi rápido e indolor.
Do momento de tirar a roupa até ver mãos cheias de tinta deslizando sobre o meu corpo passou poucos segundos.
Naquele momento não tinha mais volta.
Eu iria sim, passar o resto da minha quarta feira nua.
Nua não.
Pintada.
E em frente as câmeras.


Nudez nenhuma me assustava tanto quanto estar perto dele.
Grudada nele.
Pensar que eu sentiria tudo de novo.
Sentiria o gosto do teu pescoço na minha língua.
Sentiria meu seio encostado em tuas costas.

Azar.
Profissionalismo era profissionalismo.




Acabou.
Esfreguei.
Lambi.
Gritei.
Comi corações.
Nada voltou.
6 meses virados em lembranças.


Nua, exposta a todos foi quando me senti mais protegida.
Mais livre.
De ti.

28 de out de 2008

26 de out de 2008

Falta alguns acentos entre ela e eu.

Eu era sempre a malvada.
Ela era egoista. Traia o namorado que morava longe com o colega de cursinho que acabara de conhecer.
Eu era impulsiva e maluca.
Ela não sabia lidar com os sentimentos alheios.
Eu não sabia lidar com os sentimentos masculinos. O amor em excesso.
Ela trocou de namorado como quem troca de música.
Eu me sentia frustrada por não conseguir falar a verdade.
Eu queria dizer a verdade.
Ela não deixava.
Eu disse verdades pro outro namorado. Ele se tornou ex.
Ela prometou mudar.
Eu tentei mudar.
Ela continuou solteira.
Eu estive sempre com alguém.
Ao mesmo tempo sem ninguém.
Ela tentou a imagem de solitária abandonada.
Eu sabia que a imagem não colava
Eu ainda tento passar essa imagem.
Não sei quem ela tenta enganar.
Ela continua a mesma.
Eu continuo a mesma.
Impulsiva e maulca.
Talvez um pouco mais correta, mais madura.
Eu me misturo nela.
Ela se mistura em mim.
EuNela.
ElaEmMim.
Fim.

Sheila

tu fica fantasiando.

cara, não existem monstros no armário.

apaga a luz, abre o armário,e tu vai ver que tá tudo do mesmo jeito que tu deixou.



será que n tem mesmo?

claro que não

bom vou confiar em ti

é só confiar EM TI

tu sabe quem tu é alice

I've got to admit it's getting better

Aprendi a lutar contra meus próprios monstros.

Isso explica muito.

22 de out de 2008

Apanhador só

Músicas falam por mim.
A grande parte das vezes.

eu pensava ter uma bicicleta
e pedalar até a tua rua
dizer que ainda sou tua

eu queria ser um avião bem leve
pra sobrevoar o teu terraço e tapar teu sol
fazer tu perceber
que sem eu aí não tem ninguém pra te aquecer

perfume atrás da orelha
vestido bem vestido
um sorriso no rosto
um punhado de amigos
que é pra,
se acaso eu te encontrar um dia,
tu ver como eu ainda tô bonita

ou mais
ainda mais ainda
ou mais
ainda mais bonita

20 de out de 2008

Minha vó já dizia

A males que sempre vem pro bem.

É sempre assim.

Novos males, novos mares, novos amares.

18 de out de 2008

eu juro que levo teus olhos castanhos comigo

Meu amor
eu te odeio
você me perturba
e um dia
eu ainda vou conseguir
te matar

Fim de semana começando bem.
Meio roteiro escrito.
Uma ausência de encomodos na regiao esquerda do peito.

É uma alegria sem motivo, que sobe pelos meus pés, pernas, barriga e cabeça.
Nehuma droga. Nem maconha, nem ácido, nem alcool.
Apenas eu e meu corpo. E meus sonhos baratos de como me tornarei uma baita cineasta.
Creio que eu esteja me descobrindo só agora.
Agradeço mais uma vez a vocês:
Homens que insistem em me deixar sozinha.
Só.
Zinha.

16 de out de 2008

Devaneios de quinta

Eu quero me apaixonar enlouquecidamente.
Quero alguém tão enlouquecidamente apaixonado.
Cansei.

Já Élvis, merrmãaoo!

14 de out de 2008

Entre cigarros e sonhos

" there's no such thing as love: there are only proofs of love" Isabelle(The Dreamers)
Será mesmo que as coisas são tão dificeis ou é tudo obra das nossas imaginações?

13 de out de 2008

Morte as comédias românticas

Hoje resolvi assistir sessão da tarde. Dez coisas que eu odeio em você. Um dos meus filmes prediletos da adolescência.

Terminou. Fiquei com raiva. Porque esses roteiristas infelizes não fazem um filme adolescente realista. Qual o motivo de deixar milhares de meninas achando que um cara LINDO vai cantar “I love you baby” nas arquibancadas da escola?

Porra! Até eu, com 19 anos, pés no chão e nenhum pingo de fé nos homens me iludo e por segundos penso que aquilo realmente vai acontecer.

Cara, não vai.

Então, não é muito mais fácil dar a real? “Hó meninas, a vida é assim, os homens são assado e o final raramente é feliz”.

Suponho que não seja mais fácil, então.

Pensar é sempre mais difícil.

Tudo bem.

Se um dia alguém cantar seu amor por mim dessa forma, prometo fazer comédias românticas pro resto da minha vida.

Putz isso pode afastar futuros pretendentes. Prometo fazer filmes legais e comédias românticas!

“...Odeio quando me faz rir muito
Mais quando me faz chorar...
Odeio quando não está por perto
E o fato de não me ligar
Mas eu odeio principalmente
Não conseguir te odiar Nem um pouco
Nem mesmo por um segundo
Nem mesmo só por te odiar"
Se o teto abrisse e as estrelas caissem sobre as nossas cabeças eu te abraçaria e ficaria ali pro resto dos dias.






Onde eu coloco todo esse sentimentalismo?
Caralho.

6 de out de 2008

Não falo de amor quase nada

Buu.
Ele aparece mais uma vez como uma assombração que não me deixa dormir.
As dúvidas seguem na minha cabeça como um despertador que insiste em tocar.

Abro e fecho os olhos rapidamente. Dessa vez eu prometi não aceitar tão facilmente. Ando descobrindo que as pessoas preferem se submeter aos seus próprios medos. Ou será que a nossa sociedade tem desensinado as pessoas a amar, a querer ser feliz. A lutar por isso.

Ter certeza do que se sente, nos dias de hoje, é pecado. Querer babar, amar, trepar, viajar , sonhar com alguém. Com um único alguém. Tem sido o problema da grande parte dos jovens. É verdade. Olhe na sua volta. É assim. E ponto.

Eu, sinceramente, não quero ser assim. Eu quero fazer o movimento inverso. O movimento dos que amam enlouquecidamente. Dos que choram, berram e se escabelam por amor. Eu quero. Fazer o que.

Não quer. Putz. Enquanto estiveres vivendo sua vida mediana,com seu amor mediano, eu estarei explodindo e transbordando de amor por ai. Até morrer. De tanto amor.

Aquela coisa de fim de ano.

Acho que ando com preguiça de organizar meus pensamentos para que eles sejam lidos.

É um turbilhão de momentos por minuto.


Vou trancar-me para nunca mais abrir
Pro sabor dos nossos sonhos nao fugir.

5 de out de 2008

Quando fazemos tudo para que nos amem e não conseguimos, resta-nos um último recurso: não fazer mais nada. Por isso, digo, quando não obtivermos o amor, o afeto ou a ternura que havíamos solicitado, melhor será desistirmos e procurar mais adiante os sentimentos que nos negaram. Não fazer esforços inúteis, pois o amor nasce, ou não, espontaneamente, mas nunca por força de imposição. Às vezes, é inútil esforçar-se demais, nada se consegue;outras vezes, nada damos e o amor se rende aos nossos pés. Os sentimentos são sempre uma surpresa. Nunca foram uma caridade mendigada, uma compaixão ou um favor concedido. Quase sempre amamos a quem nos ama mal, e desprezamos quem melhor nos quer. Assim, repito, quando tivermos feito tudo para conseguir um amor, e falhado, resta-nos um só... caminho...o de mais nada fazer. (Clarice Lispector)

3 de out de 2008

Cansei de amores pela metade.

1 de out de 2008