29 de abr de 2009

Leminski

ali

ali
se se alice
ali se visse
quanto alice viu
e não disse se ali
ali se dissesse
quanta palavra
veio e não desce ali
bem ali
dentro da alice
só alice
com alice
ali se parece.

28 de abr de 2009

Excesso de cinema

Ta acabando.
O filme ta chegando.
Espero que tudo mude
depois do dia 11.

Tu.
Inclusive.
Mude.
Te mude.


Aqui na minha caminha!

22 de abr de 2009

O que sobra dos furos da orelha.

Tudo está meio nebuloso e frio.
Acho que é o efeito da anestesia.
E do vento que assombra minha febre.
Pois mesmo quando a dor passa, o choro fica.
É como se alguem batesse no meu ombro e dissesse:
Tu ta sozinha.
Tu ta fraca
E sozinha.
Eu me viro pra esse alguém e luto pela minha fraqueza.
Não luto pela minha solidão. Essa eu já desisti faz tempo.
Nessas horas que um beijo bem dado e
um abraço apertado fazem a diferença.
Agora.
Cadê?

21 de abr de 2009

Passagem de ida sem volta.



Preciso de férias.
Massagem nas costas,
nas mãos
e no ego.

Preciso de tempo.
Pra mim.
Sem ti.
De nós.

17 de abr de 2009

Mata-me de prazer.

Te vendo distante meus olhos refletem o que não conseguimos ser.
Nos perdemos no meio do caminho, meu caro.
Que tal um vinho? Ou uma tequila?
Que tal uma noite a mais?
Uma música no violão a mais?
Um beijo a mais?
E se nos despedirmos amanhã?
Hoje já é tarde. Podiamos aproveitar a noite rolando em estrelas que caem de ponta a cabeça.
Não acredito mais no nosso amor. Pra falar a verdade não acredito mais em amor nenhum.
Eu voto no prazer. Puro e pervertido.
Prazer por Prazer.
Corações: que sejam esmagados e batidos em liquidificadores.
E que mande pro diabo histórias de amores eternos.
Cansei de era uma vez.
Quero enlouquecer, gritar, relampejar, chorar.
Ah, amanhã: Bom dia.
Some.

6 de abr de 2009

Umbigo.

O silêncio que banha meu quarto é o mesmo que acalma meu peito.
Será a solidão apenas uma inquietação de espírito? Ou também um elogio ao ego?
Eu aqui. Minha mente aqui. Meu corpo aqui.
Isso é raro.
Há coisas pra fazer: um filme para dirigir em menos de um mês, projetos capengas que me incomodam até alma, roteiros enredados na minha cabeça, suplicantes por um pouquinho de atenção.
Graças a deus eu saio um pouco dessa turbulência na quinta feira: Uma mochila, alguns amigos, drogas, alcool, meio pulmão e a vontade de fugir.
Ah, não posso esquecer de levar chocolate.
Deondejáseviu comemorar páscoa sem chocolates. Até porque (por que), pra mim, esse é o significado de páscoa: comer chocolates até a lingua dobrar de tamanho e perder a sensibilidade. Depois ouvir do médico “acho que a menina tem alergia a cacau”.
NÃO, MEU SENHOR!
isso se chama intoxicação por excesso de gordura, conhece?
Essa medicina querendo encontrar o óbvio em pessoas não óbvias.
Eu não tenho alergias. Tenho surtos de pele, intoxicação por chocolate, crises de pontadas na testa: vinho demais, computador demais, cigarro demais.
Tudo muito. Sempre né.
Falando nisso, começou a tocar I saw her standing there. Beatles, siempre Beatles.
Vou apagar a luz e dançar pra vocês.
Consegue ver?


Escuta ai e dança também.

4 de abr de 2009