17 de ago de 2008

IN SÓ NIA

É tarde.

Minha respiração está ofegante e meu coração disparado.
Minhas pernas tremem. é um nervosismo chato de quem tem algo a dizer.
Minhas pálpebras já não fecham mais.
O sono que antes amolecia meu corpo se transforma em uma inquietação de espírito.

É tarde.

A minha vontade era de virar pro lado e te ver dormindo, de ouvir tua respiração alta e sentir tua perna enrroscada na minha.
Eu queria acordar contigo, olhar pra tua cara amassada e ter a certeza que mesmo depois de tudo era desse jeito que as coisas deveriam terminar.

É tarde.

E o que eu mais queria era catar algumas roupas, subir em uma moto, buzinar na tua janela e falar: ei, vamos ser feliz?
mas como eu já te conheco, sei que tu não levaria a sério, e ai meio nervoso tu diria: para com isso, sobe ai e vamo fuma um!
Viu, eu já te conheço.
Eu já me conheço.
Eu subiria, te daria um beijo no rosto e desistiria dessa ideia idiota de ser feliz com alguém. De ser feliz contigo.

Já é tarde pra começar o processo inverso. Vou esperar até amanhã.

Prometo não falar mais de amor.

Boa noite.

2 comentários:

Betânia Dutra disse...

"o teu amor é uma mentira que a minha vaidade quer" Cazuza sabia o que dizia, tu sabe o que tu quer e sabe o que é, aprende a ser feliz com as infelicidades da vida, as pessoas nunca vão ser como a gente quer. ou tu aceita ou tu parte pra outra. mas o que interessa é tu alicinha, o que for pro teu bem, e eu só quero o teu bem. lindo texto o teu :)
é nessas horas da madrugada, de insônia (de solidão? ou solitude?) que as palavras saem com a gente quer.
puts, falei de mais.
beijo amada! ;*

miss_lioncourt disse...

cara ao inves de te perguntar qual seria a resposta, pensa se fosse a outra pessoa que te fizesse a mesma pergunta, ou melhor se ela faria essas perguntas, se ao menos ela pensa em fazer essas perguntas. sinceramente, os homens sofrem de falta de curiosidade, mas nao de falta de ansiedade e de agonia. sao uns trouxas. mudos.
te amo, beijaao