28 de set de 2008

Eu e Ele

O cheiro dele ainda estava em minhas costas, a lembrança recente de cada momento fazia com que minha pele arrepiase, suas poucas palavras continuavam a ressoar na minha cabeça.
Queria que fosse interminável.
No fundo eu sabia que o dia seguinte chegaria, que teria que sair de lá, atrasada com o mundo que passava correndo do lado de fora.
Por mim, me esquecia e me perdia dentro do caos de suas paredes.

Agora por ele...

Um comentário:

Betânia Dutra disse...

aie, coisa linda! :)
te perde então, só não esquece de mim.
te amo alicinha lucinda! ;*