26 de mai de 2009

pés pelas mãos

Ela sentada. A bolsa na cadeira ao lado.
Tá esperando alguém?
Não, não. Eu costomo sair acompanhada da minha bolsa.
E da tua ironia também. pelo jeito.
Ela tira a bolsa. Ele senta e coloca as mãos sobre a mesa.
Tua mão é sempre bonita, assim?
Eu trabalho com ela.
Ahnn. Tu é massagista?
Só nas horas vagas.
Ele ri. Ela não.
Eu sou dentista. E tu?
Eu sou bailarina.
Tu trabalha com teus pés então.
É. Mas eles não são bonitos.
Vou buscar uma cerveja.
Ele nunca voltou.

2 comentários:

Rafael disse...

É engraçado como eu realmente consigo visualisar esse diálogo em um bar qualquer, onde uma moça qualquer não quer companhia... as vezes a nossa melhor companhia é a solidão que nos acompanha!!!!


Abração!

cles disse...

Quero ventar por tudo...